Por que é tão bom comer

Por que comer é tão bom?

Já se perguntou por que comer é tão bom? Percebeu que muitos momentos importantes estão associados à comida? Por que será que sentimos tanto prazer ao comer? Será normal  esse sentimento estar acompanhado de culpa?

 

POR QUE COMEMOS?

Por que comer é tão bom?
Por que comemos?

Todos os seres vivos precisam de energia para sobreviver, fato. Para nós, a fonte dessa energia se dá através dos alimentos: eles são consumidos e passam pelo processo de absorção, resultando em partículas tão pequenas que podem ser usadas à nível celular.

Podemos dizer que “energia” seria apenas um título para segmentar todo o resto do conteúdo que será absorvido. Por exemplo, ao consumir uma fatia de pão, este fornecerá energia ao organismo, proveniente dos macro e micronutrientes, e das fibras. Todos os nutrientes são essenciais para o desenvolvimento, funcionamento e manutenção corporal. O ser humano possui um diferencial: dispõe um amplo sistema digestivo que absorve uma gama superior de nutrientes. Portanto, na teoria, o motivo pelo qual o organismo manifesta fome física: alimentar e nutrir o corpo, para o manter em pleno funcionamento.

Com a fome instalada, os sintomas como fraqueza, mal estar, dores de cabeça, mãos e pernas trêmulas e vazio no estomago, podem até serem “esquecidos” após determinado período. Como o corpo humano foi projetado para sobreviver a momentos de escassez, e utiliza meios para tolerar algumas horas sem suprimento. Passado certo período, o corpo entra em estado de inanição e a falta de comida e água, podem levar à morte.

Se uma pessoa não mantém uma alimentação saudável e constante por condição financeira ou por opção de não se alimentar decorrente transtornos alimentares, aceitação corporal ou dietas restritivas, pode desenvolver problemas. A lista de exemplos é extensa: desenvolvimento e funcionamento corporal inadequado, carência nutricional, doenças relacionadas, sintomas de fraqueza e/ou irritabilidade e dificuldade de prestar atenção ou focar. As crianças ficam indispostas para brincar, adultos não tem animo para fazer atividades físicas, e muitas mulheres podem apresentar desordens menstruais.

Portanto, é correto afirmar que comemos para sobreviver e manter o corpo em pleno funcionamento!

 

POR QUE COMER É TÃO BOM?

Se nos alimentamos somente para sobreviver, poderíamos comer o essencial ao funcionamento corporal e pronto, problema resolvido. No entanto, isso não acontece fora da teoria. É delicioso tomar uma sopa quentinha acompanhada de umas torradas e um pouco de vinho em uma noite de inverno. E não necessariamente esse processo está relacionado ao ato de se nutrir, mas também ao prazer que o jantar proporcionará aquela família.

Uma vez que o corpo detecta a diminuição da concentração de nutrientes, desencadeia sinais para a manifestação da fome, mas esses sinais também podem ser despertados sem que haja a fome, simplesmente pela exposição à alimentos, horários do dia, pela aproximação de outras pessoas comendo ou pelo simples cheiro de comida sendo feita.

Ao preparar uma refeição tocamos o alimento, sentindo a textura e o cheiro, fazemos combinações para melhorar a aparência e o sabor do prato. E, ao comer, saboreamos cada garfada com a ajuda de todas as papilas gustativas presentes na língua. É fácil observar isso em crianças que estão na fase de introdução alimentar: se interessam pelo colorido  e à princípio, dá preferência aos alimentos “diferentes” que chamem sua atenção.

Ao unir os sentidos existentes no corpo humano,a fome, a exposição à comida e o ato de comer, normalmente, o resultado é a sensação de contentamento. Tal sensação se deve pela liberação de substâncias, gerando o bem estar pós refeição. Então, foi assim que o ato de comer deixou de ser “primitivo”, passando a ser algo prazeroso.

A fome física está diretamente relacionada aos níveis e concentrações de nutrientes presente no organismo, bem como o ato de comer está para nosso emocional. Ao fazermos refeições acompanhados ou ao preparar jantares para celebrações importante, construímos um ambiente favorável para o ato de comer. E, infelizmente, esse “ambiente” não é visto como adequado por muitas pessoas.

 

ATÉ QUANDO É SAUDÁVEL COMER?

 

Por que comer é tão bom?
Comer é uma delícia!

Primeiramente é importante identificar se há fome ou vontade de comer.

 

Normalmente, a fome física acontece quase sempre no mesmo horário do dia, e como já foi explicado, é um sinal do corpo expressando a baixa concentração de nutrientes. Nesse estágio, a fome vem com tudo e você poderia comer qualquer coisa ao seu alcance e em uma velocidade surpreendente. Não existe um horário padrão que deve ser seguido à risca, mas sim a sensação que deve ser suprida. Comer com calma, considerando o momento é primordial para entender e respeitar o funcionamento do corpo.

 

Já a vontade de comer ou a “fome emocional” pode aparecer sem que o corpo necessite de nutrientes ou que os estoques energéticos estejam em baixa. É correlacionada a particularidades emocionais, trazendo prazer momentâneo, com um certo “alívio” para determinada condição. Essa sensação de prazer é diferente de sentir-se bem após uma refeição. É como se apenas um alimento no mundo fosse capaz de saciar a fome e pode ou não estar acompanhado com sentimento de culpa depois de come-lo.

É ERRADO SENTIR PRAZER AO COMER?

Claro que não! É completamente normal essa sensação pois o próprio corpo libera substâncias após as refeições, fazendo relaxar e se sentir bem. Você não precisa se sentir culpado em sentir felicidade após comer.

É verdade que um alimento ou uma refeição pode atribuir certa “emoção” para determinado momento. Mas, o que deve ficar claro, é que “o comer” faz parte da vida,  da cultura, e contribui para a saúde. Não é saudável julgar o ato de comer inadequado ou não ver a comida como aliada do bem estar, afinal, esse relacionamento pode desencadear sérios problemas para a saúde física e mental.

Primeiramente, é ideal se conhecer e entender quais os sinais manifestados por seu corpo. Se privar não é a melhor solução! Comida não é vilã, não tem vida própria e não vai te causar um problema sério e irreversível: se você souber como utilizar. Comer faz bem ao corpo e mente e uma alimentação saudável e balanceada é super importante.

Portanto, conhecer seu corpo, suas limitações e momentos difíceis, é indispensável. Saber quando e em quais situações é possível se permitir também é. Talvez, se você se encontra em um estágio que não consegue identificar tais diferenças, provavelmente precisa de ajuda.

 

Esse texto não endossa o comer compulsivo ou inadequado, mas o equilíbrio, o que é fundamental para a saúde.

 

Na dúvida, consulte um nutricionista!

Post criado 6

Deixe um comentário

Posts Relacionados

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.

De volta ao topo
%d blogueiros gostam disto: